Site de Poesias

Menu

Uma doce vampirinha

Malditas lembranças

A noite barulhenta
não me deixa dormi, trazendo
sobre mim, lembranças
marcadas no tempo.

Não que eu quisesse sentir
Nem que eu quisesse lembrar
A noite insiste em me roubar o sono
e fazer lembrar da tua ausência.

E essa maldita canção na minha
memória, que tanto tento lançar
ao vento para que eu possa
começar uma nova historia

Nessas lembranças trazidas pelo anoitecer,
teus olhos castanhos luzido e puramente raros
Símbolo do meu pecado
Cenário de perfeita luxúria, que me faz pede mas
uma noite de sono

Talvez seja como um castigo.
Lembrar daquilo que insisto em tentar
esquecer...

A noite barulhenta
não me deixa dormi,
trazendo sabre mim lembranças
marcadas no tempo.


Por: Fernanda Lopes