Site de Poesias

Menu
Murilo Celani Servo

Murilo Celani Servo

Ainda não sei quem sou, mas sei o que ainda não consegui ser. Amante da música e da boa leitura, admirador da natureza e de todos os astros que brilham lá no céu, vou vivendo sem a preocupação de descobrir quem sou, procurando usar a intuição, pois a razão e a lógica já não me são satisfatórias. Não sou um filósofo, muito menos um escritor. O questionamento da razão me levou a procurar a lógica de todas as coisas, fez com que me apaixonasse pela filosofia, identificando-me com o mundo das idéias, quando percebi que meu pensar, provinha de uma lógica que até então não conhecia. O sistema em que estou subordinado a viver, foge a minha razão, fazendo-me questionar os porquês de um mundo incompatível com minha visão e a forma de viver. A realidade que não consigo enxergar, traz a ilusão de estar avançando no tempo, em direção contrária a toda ideologia evolutiva, não conseguindo atravessar as barreiras da ignorância, que me prende a leis e costumes ditados pelo homem que governa, manipulando as consciências e infiltrando suas idéias no pensamento alheio. Sou aquele que procura a verdade, um ser que não se cansa de pensar, procurando entender o que sou, e não quem sou. A verdade que foge da lógica e da razão de viver, faz com que eu pense profundamente sobre o sentido real da existência, tentando libertar-me da matriz que tenta atrofiar a minha consciência. Não sei se vivo ou se apenas existo. Usando a intuição, faço com que eu tenha um pensamento que penetra no mundo das idéias, quando tento observar a mim mesmo, tendo uma visão externa de onde posso enxergar a matéria tangível que anima meu corpo. O espaço tempo que separa o mundo material do mundo inteligível, em que a linha que os separa, posso chamar de morte carnal, faz pensar-me em que a mesma, também é uma ilusão. As idéias sobrevivem enquanto minha consciência faz de mim, um ser pensante, que sempre serei enquanto possuir tal, enquanto conseguir olhar para si mesmo.

Murilo Celani Servo.

Poesias de Murilo Celani Servo

Título Data Com. Vis.
Observador do Cotidiano 09/09/2016 0 175
Nada Além 02/03/2016 3 233
Mundo Poeta 25/02/2016 0 93
Confesso Que Acreditei 25/02/2016 0 87
Tempo Perfeito 07/01/2016 1 227
Sonho de Consumo 23/12/2015 1 87
Efeitos da Forma 19/12/2015 0 96
Ato de Amar 25/10/2015 2 288
Cântico do Tempo 20/08/2015 3 243
Através 18/07/2015 1 130
Extratos do Coração 05/07/2015 1 185
Pela Ilusão De Um Sonho Real 05/01/2015 0 307
A Cor do Sentido 07/10/2014 0 355
Contra Comédia 03/09/2014 0 147
Densa Brisa 31/08/2014 2 177
Distopia 30/08/2014 0 116
Elegia Por Poesia 01/08/2014 1 171
Metafísica de Um Sonho 26/07/2014 0 149
Sonho Mutante 24/07/2014 0 139
Faces de Mel 23/07/2014 1 148