Site de Poesias

Menu

Fuxi dya Manda

Procura ser um ouvidor de histórias, e de vozes de sua infância, um amador da vida vista através da pintura e fotografia, um observador do vento que se faz de cego a dobrar a uma esquina. Numa só palavra, aprende a ser um «leitor».

Lê todos os autores possíveis, mas tem por eleição Mia Couto, António Lobo Antunes, Fernando Pessoa e José Eduardo Agualusa; e os lê na combustão da música, sobretudo, do angolano David Zé e do zimbabuano Oliver Mtukudzi.

Nos tempos livres, aprende também a escrever, ou seja, musicar as palavras cuja densidade ele não consegue experimentar com a vibração das cordas de uma guitarra.


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 

  • "Amar é tranquilizar-me da vida que se vai"