Site de Poesias

Menu

a.nor.mal.idade

Eu sou um burocrata de profissão, mas como dito cidadão respeitável percebi que vivia o ouro de tolo alardeado por Raulzito. Tornei-me aspirante a várias coisas, entre elas: músico, poeta, filósofo, pai, blogueiro e professor. Até então não me completei em nenhuma delas, restando apenas o diletantismo e o persistente sonho por algo mais que o vazio da rotina. Transito entre a Filosofia, a Arte e a Ciência, buscando nelas inspirações e ensinamentos, porque todo ensino inspira o aluno mais atento. Difícil é não se repetir nem expirar a inspiração.
As ruas das rugas se alteram diariamente, apesar dos caminhos parecerem os mesmos, o que deveria alertar a todos sobre o fluxo das coisas e a efemeridade da vida, porém a maioria prefere simplesmente girar a fim escapar do niilismo, nosso perigo maior. Esta é minha luta diária: não girar em falso nem sucumbir como niilista. Até lá, tento ignorar minha veia burocrática e preservar minha verve estética, apesar da minha inabalável fé na matéria.

Poesias de a.nor.mal.idade

Título Data Com. Vis.
O Mamoeiro 19/04/2014 0 22
O Mendigo 19/04/2014 0 102
Jovem Velho 19/04/2014 0 --
Boas influências 19/04/2014 0 13
Em redes não mais 19/04/2014 0 --
Constatações para surdos 19/04/2014 0 14