Site de Poesias

Menu

Às voltas com os sonhos

[Ilustração não carregada]


Às voltas com os sonhos (velhos e queridos companheiros), nem sempre tão bons.
As vezes, negros ou acinzentados,
As vezes, pálidos e desbotados,
Nos mais esmaecidos tons
 
As vezes de uma brancura sem par,
Luzidia e irritante,
De uma clareza ofuscante
Que mal nos permite enxergar
 
As vezes à meia luz, difusa,
Penumbra suave e ofuscante
Sub-luminar, confortante
Mas que turva a visão confusa.
                                                                                                          
 
As vezes, nem sei aonde
Na  escuridão completa.
Onde a visão, não penetra,
É la que a verdade se esconde.
 
E vive lá essa criatura esquecida,
caricatura da própria vida
Despida de toda vaidade.
 
No mais escuro canto do sonho.
Num nicho solitário e tristonho
É lá que se esconde a verdade
 
BRUNO 08 FEV 013   01:22

Compartilhar
BRUNO
07/06/2013

  • 5 comentários
  • 262 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados