Site de Poesias


Perimetral


Perimetral
 
Se és capaz de maltratar
Quem da vida nada tem
Também podes suportar
O peso do meu desdém.
 
Ó Deus da eterna glória,
Do saber e da justiça
Leva teu filho à vitória
Nos liames desta liça
 
Não o desampares agora
Quando de Ti, mais precisa
Socorre-o sem demora,
Antes que perca a camisa
 
A fé, por Ti, descortina
És sua âncora de esperança
Dissipa-lhe a neblina
Que lhe tira a confiança
 
Senhor, ó Rei da glória
Deste mundo sofredor
Tu, julgarás a pretória
Que julga o mundo a “priori”  
 
Teu julgamento isento
Das vicissitudes terrenas
Não aceita argumento
Estes, são do mundo apenas
 
No imenso caos do abismo
Na escuridão mergulhados
Pagarão pelo cinismo
Ao serem por Deus julgados.
 
São Paulo, 03/08/2012
Armando A. C. Garcia
  
                                                                                                                    
“(do latim, "partindo daquilo que vem antes")
Visite meu Blog: http://brisadapoesia.blogspot.com

Compartilhar
ARMANDO A. C. GARCIA
03/08/2012

  • 0 comentários
  • 87 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados