Site de Poesias


Conjugação

 Meu corpo sedento 
Se deita para lhe chamar
E o seu consente
Nossos gostos se confundem,
Nossas carnes se pedem instintivamente, 
Toda a atmosfera se modifica pra nos acolher
Envolvidos em um alvéolo, cada parte minha te pertence
E no teu domínio faça o que quiser, me toca e me conforta,
No teu intimo me embriaga
Vamos nos perdendo na contagem das horas, nos desprovendo do tempo
Desmanchando-nos, desvendando-nos
Voluptuosamente!

Compartilhar
Ana Julia Artur Bolato
17/06/2012