Site de Poesias


UM PEDAÇO DE PANO E UM POBRE CACHORRINHO

UM PEDAÇO DE PANO E UM POBRE CACHORRINHO

Hoje sai não muito cedo, mas eu que moro nos fundos de uma rua sem saída, não pude deixar de notar que tinha um amontoado de alguma coisa bem no meio da rua e que eu não consegui identificar.
 
Ao voltar agora à noite parei num supermercado do bairro para comprar um bolo que só hoje é feito.
 
Comprei-o e ao virar na minha rua já notei a tal coisa lá na frente, só que dela saiu um cachorrinho para me dar passagem. Eu então curioso parei do lado da tal coisa e vi que era um pedaço de um casaco de lã com alguma espuma.
 
Então desliguei o carro, peguei aquele pano onde o cachorrinho, era de tamanho de pequeno para médio, estava fugindo do frio e levei para fora da estrada, mais próximo da cerca e perto da mata onde ele ficaria melhor.
 
Ao voltar para o carro vi aquele bolo ali do lado e resolvi ragar um pedaço, com a mão mesmo, e levei para o cachorrinho que devia ter sido abandonado por ali e o que aconteceu me cortou o coração, pois aí eu já não podia fazer nada.
 
Ele, ao invés de se aconchegar no seu trapo de pano, agora melhor localizado, e com um bom pedaço de bolo para comer, passou a acompanhar o meu carro a leve distância e eu tive que parar e dar sinal para ele voltar, pois já tenho três vira-latinhas, um macho e duas fêmeas, e mais um macho não ia dar certo, pois brigariam pelo espaço.
 
Ele a contra gosto voltou e eu então vi que o que aquele cachorro mais estava precisando, não era do pano mais bem localizado, nem do bom pedaço do bolo, apesar de provavelmente estar faminto, mas sim de alguém que lhe desse carinho e o acolhesse, como deveria ter tido até então.
 
Doeu o coração, mas tive que seguir em frente, pois estamos neste mundo que o homem deformou e quem sabe, um dia, não volte a ser mais feliz e justo com as suas criaturas.

www.hserpa.prosaeverso.net
 
"Não é o lugar em que nos encontramos nem as exterioridades que tornam as pessoas felizes; a felicidade provém do íntimo, daquilo que o ser humano sente dentro de si mesmo' Roselis von Sass – www.graal.org.br

 
 
 
 
 

Compartilhar
HSERPA
03/05/2012

  • 1 comentário
  • 179 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados