Site de Poesias


Estranhos.


Murmúrios silenciosos preenchem a sala
Repleta da mais pura solidão
Em meio a tantos pesos soturnos
Admiro uma feição
 
A pureza que nela apuro
Arrebatadora visão
Vale a pena  estar seguro
Tê-la em pura afeição
 
Nos dias que se seguem apenas escuto
Pobre do meu coração
Arrebatado também fora
Por esta bela criação
 
Que de nome surpreende
E ao mais simples pode ver
Tudo isso e tão contente
Que duvido-me  a crer
 
Em tal alma condizente
Com o mais puro bem querer
E sabe da minha mente
Como quem me viu crescer
 
Nem creio me achar tão presente
A ponto de te perder
Para o som pouco estridente
Que um zumbido pode trazer
 
Anistie a incompetência
Que demonstro ao , passar, te ver
Minha alma pede clemência
Um bom dia, amanhecer.

Compartilhar
Rustic Beauty
29/04/2012