Site de Poesias


CHUVA

CHUVA
 
Estávamos em Setembro
Num ano que não me lembro
O dia nem sei qual era
Mas me recordo das flores
Do esplendor de suas cores
Devia ser Primavera
 
A chuva caía fina
Molhando toda a colina
Trazendo vida ao lugar
O Sol às vezes surgia
Mas a chuva insistia
Tão logo não ia parar
 
Contemplando a cena bela
Debrucei-me na janela
E num cochilo sonhei
Viajei pelas estrelas
Poderia até descrevê-las
Naquele momento fui rei
 
Conheci planetas mil
Galáxias que nunca se viu
Mas não vi o que eu queria
Acordei aborrecido
O coração dolorido
E vi que ainda chovia...
 
Pedro Martins
2001
 

Compartilhar

A chuva...que seria de nós mortais sem ela. Bendita água que cai do Céu e ressuscita a vida que morta já parecia. Esse poema é uma alegoria real.

Pedrinho Poeta - Pitangueiras-SP-
02/09/2011