Site de Poesias


ENTRE A MULTIDÃO

Quando o amanhã se faz obscuro diante de minha ânsia
Procuro na memória teus passos, teu jeito doce de olhar.
Então entendo o que leva os poetas a vagar na infancia,
Perderem-se num abraço, nos braços do amar.

Desperta ou na dormência lamento os dias e noites de
Solidão
Sigo a buscar –te em todas as faces entre a multidão
Desejando o calor dos braços teus
E ofertar-lhe os carinhos meus.

Compartilhar
Andiara Campos
25/09/2007

  • 3 comentários
  • 424 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados