Site de Poesias


O Puxa-Saco ( Crônica)

O Puxa-Saco ( Crônica)

 
Bichinho inoportuno esse tal de puxa-saco! Ele também é conhecido como bajulador e se encontra alojado em todos os lugares do planeta. E basta só um para fazer um grande estrago. O pior é que cada vez mais eles ficam resistentes e imunes a inseticidas ou qualquer outro tipo de veneno. Ele gruda como uma sanguessuga e só desgruda quando está pesado de sangue, bem alimentado.
Eu usei a expressão "bichinho", mas eu acho que é até carinhosa demais. Não saberia classificá-lo pela falta de conhecimento científico. Mas no chute creio que posso arriscar: um verme, um parasita, um fungo, um sei lá sabe o quê. Eu só sei que ele incomoda muito.
O engraçado é que a pessoa infectada se sente bem, fica bem disposta, alegre, confiante. Mas os que estão a sua volta, ficam irritados, enjoados, mal humorados, desanimados. Dá até febre e muita dor de cabeça. Uma coisa horrível. Muitos chegam bem próximos da loucura total. Deve ser reação dos anticorpos ou coisa parecida.
E como identificar o puxa-saco? Não é difícil. Ele vai se manifestando e se enfiando sorrateiramente entre os demais. Cuidado que ele se camufla. Mas não dá para enganar por muito tempo. As suas características são inconfundíveis. Um dos lugares ideais para se encontrar essa espécie é nas empresas privadas e nos setores públicos. Nestes têm em pencas.
A principal característica de um puxa-saco é hilária. Ele está sempre mostrando os dentes amarelados e fedendo à carniça, como a hiena; e ao contrário da coruja, ele fica o tempo todo mexendo com a cabeça para cima e para baixo. Ele sempre busca refúgio em salas grandes e confortáveis, como as da chefia. Ali ele se farta, dorme, ronca e baba muito.
E quando é fêmea? Dá um maior trabalho. As cadeiras e poltronas da sala da chefia ficam sempre úmidas e manchadas. As mesas todas embaçadas. Esse tal bicho gosta mesmo de se dar bem. Por isso, fica difícil classificá-lo, pois além de temperamentais são muito espertos, estão sempre trocando de pele.
Mas se fossem da espécie humana eu poderia arriscar: oportunista, vulgar, mesquinho, promíscuo, sem personalidade, sem caráter, desprezível e nojento. Dá até vontade de vomitar quando eu penso em encontrar um na minha frente. Sai de retro bicho insignificante!

 

Compartilhar

Obra registrada. Protegida pela Lei de Direitos Autorais 9610.
Imagem extraída da web. Autoria desconhecida.

Conheça mais sobre o meu trabalho, lendo os romances que escrevi: www.agbook.com.br
Leia "O Encanto do Pássaro Azul" - romance infanto-juvenil. São Gonçalo - RJ

RICARDO OHARA
14/05/2011