Site de Poesias

Menu

Responda Com amor Beija-flor

Venho aqui, frágil. Sem arrogância ou orgulho, muito menos indiferença, prometer que tudo irá acabar bem. Suas dores e a cruz que carrega no peito, logo ficará leve do mesmo modo que uma folha de papel como a que escrevi sorrisos a você. Eu estarei aqui o tempo todo. Pois essa noite, estou desejando você para aquecer meu corpo tão congelado. Sem prazer nem malícia. Apenas desejando, para que nossos sentimentos possam brotar novamente de um jeito raro.

Também venho pedir para que se afaste de mim e permita que eu crie raízes em outro jardim. Mas não se esqueça nunca do que fomos um para o outro. Esqueça apenas as mentiras e precipitações, pois essas, com toda a certeza que tenho, são as ultimas palavras que escrevo sentindo você em mim. Esqueça o mal que fizemos. Se lembre das risadas e do prazer que tínhamos um com o outro.

Tenho sonhado com
ocê assim pertin...
Mas a realidade que vivo agora tem se tornado profundamente afável perto de um sonho onde você me abraça e eu juro, que posso sentir seu calor com cheiro de melancia. Você chora em meus sonhos e pede para que eu fique. Mas sei que não faço mais parte de seus pensamentos reais, e fico feliz, por você e por outro alguém talvez. Mas, por que choras então? Não fique assim, eu quero te sentir sorrindo daqui, mesmo que não seja para mim, te dou um beijo sem sal nem doce e digo adeus...

Eu te deixo amar beija-flor... Mas não esqueça o amor que tive por você. Volte. Lembre-se do tempo em que sorríamos com esperança, idealizando momentos e sentindo de longe o prazer que os ventos da capital atraiam me causando sorrisos silenciosos destinados a você.

Me deixe amar. Me devolva o ultimo indício de você em mim, devolva o que resta para o fim se fazer completo. Devolva, para que eu possa caminhar em paz nessa eternidade que irá me sufocar, mas deixe. Permita que eu te esqueça para sempre, e nunca mais procure saber se está bem, eu sei que irá ficar. Devolva-me, pois é só o que falta para eu te expulsar de uma vez. Devolva, mas guarde com você os desejos e sentimentos verdadeiros, pois eles é o que vão manter a dor em nós, ou apenas em mim.

Me deixe voar, enquanto aqui, te deixo amar aquela sua dor que nunca morreu, como eu sempre soube.

Eu te amo. De um jeito assim. Não desse, nem de outro. Mas do modo que sempre entendemos. Apenas amo.

Compartilhar
Thalita B.
08/05/2011

  • 0 comentários
  • 49 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados