Site de Poesias

Menu

Borboletas no jardim

Tem uma borboleta em meu banheiro, pode tira-la para mim?
Disse a garota com receio.
Por que você mesmo não faz isso? Nunca teve medo de borboletas.
Disse o garoto sem tirar os olhos da TV.
Tenho medo de machuca-la, suas asas são tão frágeis. Também não quero que se vá, só acho que aquele lugar não é hábil para ela...
Faça como no dia em que nos conhecemos, leve uma flor até ela. Se lembra?
Sim. Só não entendo como posso resolver isso levando uma flor até ela.
Quando eu te vi pela primeira vez, você estava encostada em uma parede, olhando para o palco. Muitos ali não conheciam os artistas, mas você cantava todas as musicas. Não desviava o olhar e tomava um vinho tinto. Já notou como as pessoas ficam sensuais quando bebem vinho?
Então devo oferecer vinho a borboleta?
Não. Eu tentei de todos os modos chamar sua atenção, e mesmo o lugar não sendo uma obra com perfeição como merecia, você parecia não ligar para o que estava acontecendo a sua volta. Então eu te surpreendi com uma flor, e você sorriu. Segurou a flor e se sentou comigo em um banco próximo ao jardim para conversar. Assim, eu consegui te tirar daquele lugar horrível sem precisar te tocar ou machucar. E depois disso, você nunca mais foi embora, ficou para sempre em meu jardim.
E onde a borboleta no banheiro entra nessa história?
Leve uma flor para ela, quem sabe ela não troca uma parede fria de banheiro, por uma doce e perfumada flor de seu jardim.

Compartilhar
Thalita B.
31/03/2011