Site de Poesias

Menu

Entre mim e o Ano Novo

Há entre mim e o Ano Novo
Um poema fatigado.
E absorto.

Mas entre um cansaço e outro,
Um verso se me desdobra,
Num contraverso sem sono.

É que entre mim e o Ano Novo
Há um poema apaixonado...
De força e essência que o abro
No mais completo abandono.

E entre mim e esse alvoroço
Do Universo, no meu rosto,
Do meu rosto, no Universo,

Transbordo.

--

Compartilhar

Feliz Ano Novo!

Célia de Lima
01/12/2011