Site de Poesias


CRÔNICA: "FABRICA DE FAZER DOIDO"

FÁBRICA DE FAZER DOIDO!

Tive alguns conhecidos que tinham duas famílias e, confesso, sempre achei isto coisa de doido e vou contar o desfecho de dois casos para vocês chegarem à mesma conclusão que a minha.

O primeiro que eu conheci era um cliente. Trabalho com seguros e duas vezes por ano nos encontrávamos para renovar os seguros dos veículos dele.

Com o tempo fomos “trocando figurinhas” e como eu tinha me separado comentei para ele e ele na conversa me contou que tinha dois relacionamentos e que ambas as mulheres tinham conhecimento uma da outra.

Cada vez que nos encontrávamos então eu perguntava e ai como é que está a situação? E a coisa nunca era das melhores.

Eu estava em um processo de aprendizagem de ser solteiro, verdadeiramente, sem se sentir solitário, para poder novamente, uma hora, ter o devido discernimento para casar de forma mais consciente na próxima oportunidade.

E ele sempre me contava os seus casos e as encrencas que se iam sucedendo.

“Com “a “titular” ele tinha um filho de uns oito anos e com a outra só os “ bons” momentos. E os anos foram passando até que em uma das vezes que lá fui ele me falou que a titular tinha ido embora para a Itália e deixado o filho com ele.

Simplesmente ela um dia ligou e disse onde estava sem aviso pré. E lá ficou ele com um filho quase adolescente para cuidar e uma amante que na falta da anterior ficou meio que a titular.

E ela não gostou muito desta nova situação, pois não estava acostumado a vê-lo todos os dias e agora tinha que agüentá-lo, foi isto que eu imaginei, contando das dificuldades que estava passando para trabalhar e cuidar do filho.

É claro que ela caiu fora e além de tudo já tinha ganhado uma casa e carro de presente mesmo. O que mais ela poderia esperar daquele cara, agora tão chato?

Eu escutava ele falar e não podia deixar de pensar de como são infalíveis as leis invisíveis deste nosso mundo e que ali estavam sendo colhidos os frutos de uma sementeira errada.

Ficou sem nenhuma delas e ficou criando o filho até onde soube, pois perdi o contato, já que a parte financeira também ruiu e ele parou de fazer os seguros. 
                                                         
                                                             =-=-=-=-=-=-=

O segundo caso foi com um amigo meu, de clube, e que um dia também abriu o jogo.

Disse que tinha dois lares e que a esposa titular tinha acabado de descobrir, há poucos semanas, a existência da outra, com quem inclusive ele já tinha um filho já bastante grandinho. Então não era coisa nova.

Eu nunca consegui entender como é que alguém em sã consciência cria uma situação desta para o seu dia a dia, pois simplesmente, isto é uma fábrica de fazer louco.
 
Eu diria que é assim mesmo e, além de tudo, de uma pessoa que, neste caso específico, não podemos considerar muito inteligente, embora fossem pessoas esclarecidas, pois dá para imaginar como é a rotina de uma pessoa que criou este cotidiano para si?

É um dia a dia muito cheio de mentiras, falsidades, telefonemas escondidos etc.

Não dá para entender.

Do casamento ele tinha filhos grandes, fazendo faculdade, e a esposa quando descobriu achou melhor manter a situação, sem que os filhos ficassem sabendo, para que eles não caíssem de pau no pai, e pelo que sei até hoje ainda não sabem.

Dá para imaginar como era o dia a dia deste meu amigo, ou melhor, acho que não dá nem para imaginar, como pode se estabelecer uma situação desta, tendo de estar sempre escolhendo as palavras que vai falar dentro de casa, explicações de horários, medo de sair na rua ou de ser pego quando sai com a outra.

Isto deve ser um tormento e eles não vêem que se tornaram escravos desta situação; não vêem que com ela perderam toda a liberdade de ir e vir, de conversar descontraidamente, de passear sem o medo sempre onipresente de que a titular ou os filhos o vejam.

Eu considerava a minha situação de estar “sem pai nem mãe” na minha nova solteirice, vivendo em hotel e começando uma nova vida, depois de dez anos de casado, muito melhor do que a deles.

Nem pensar uma situação destas.

Ai depois que a titular descobriu, o mundo de mentira aumentou ainda mais, já que ela assentiu e imagine ai o ambiente dentro de casa. A mulher pode até silenciar, pelos filhos, mas estará sempre cobrando, atazanando-o, com certeza.

Olha a vida pode nos ser muitas vezes confusa e termos momentos bem complicados na sua trajetória, mas sinceramente tem gente que gosta de abusar


=-=-=-=-=-=-=-=


Tenho outro exemplo de como a ganância pode transformar a vida de uma pessoa num verdadeiro martírio.

Um empresário conhecido, do ramo de serviços a automóveis, um dia, numa mesa de restaurante, me contou que para fugir da Receita Federal tinha feito um divórcio fictício e passado tudo para o nome da esposa e agora estava desconfiado de que ela o estivesse traindo.

Olha a situação em que se coloca um ser humano.

Ele tinha umas dez lojas na cidade então porque não ter só umas cinco e viver tranqüilo?

Em vez do iate de vinte pés, porque não um só de dez pés? Não seria muito melhor?
Poder dormir tranquilamente?

O que será que leva pessoas inteligentes a viverem em tais situações?

Será que é falta de adrenalina?

www.hserpa.prosaeverso.netEm qualquer situação da sua vida procure se lembrar:
'Não é o lugar em que nos encontramos nem as exterioridades que tornam as pessoas felizes; a felicidade provém do íntimo, daquilo que o ser humano sente dentro de sí mesmo'
Roselis von Sass -
graal.org.br

Compartilhar
HSERPA
12/09/2010