Site de Poesias


O vendedor de maçãs

 

Em tempos passados,

Um vendedor de maçãs esfarrapado,remendado e costurado,

Hoje todo garboso,

Bem vestido, cheiroso e mentiroso,

Todo arrogante sentindo se um general,

Na ilusão de que como  ele não tem igual...

Sábio vendedor de maçãs...

Mesmo aos trapos era gentil e galã,

Coração aberto e puro,

Pra felicidade não colocava obstáculos nem muros,

Pobre vendedor ! Hoje engravatado....

Da ganância virou escravo,

Trabalha angustiado o dia inteiro,

Numa vida fria desgraçada sem tempeiro,

Tua alma não é mais pura,

Rico vai morrer ele jura,

Pra quem amou tanto isto agora é sentimento de fraco,

Ah vendedor de maçãs...Te preferia aos farrapos

Quando fores pra outra vida se quiseres levar o que aqui conseguiu...

Pobre vendedor de maçãs...Não vais passar no estreito funil..

 

 

 

Compartilhar
Luciene Arantes
04/06/2010