Site de Poesias

Menu

Amigo, meu Amigo!

 Vivo intimamente comigo mesmo.
Tenho grandes e profundas conversas,
Aprendendo introspectivamente num diálogo
Onde nós, eu comigo mesmo, falamos sem reservas

Não tenho medo de dizer o que há de mais profundo,
Revelo a mim sem reservas todo o meu interior,
Pois que nunca me trairei sendo eu o meu professor.
Nunca me deixo sem entender as disciplinas do mundo..

Falo até todos os absurdos e mesmo aborrecido eu não mudo.
O meu verdadeiro amigo me edifica e não me critica, não zomba.
Nunca procuro em mim defeitos, conforto-me e guardo tudo.
Eu sempre me analiso com profundas verdades é o que importa,

No meu quarto, no silêncio, na minha cama, encontro o consolo.
O meu travesseiro ouve a minha intimidade molhada de lágrimas
O silêncio não tem poder sobre mim não consegue trazer desespero,
Com minha boca falo segredos ao meu ouvido, sorrio, são maravilhas...

Eu sei que me amo e me educo a não aceitar ser um derrotado.
Determino que pessoa alguma, mesmo anjos, não venha me fazer esmorecer,
Pois sei que minha alma e meu espírito, na onisciência de Deus, estão ligados.
O Onipotente nos fez eu a alma, eu o espírito e eu controlado num corpo viver.

Compartilhar
JAIROLIVEIRA
14/03/2010