Site de Poesias


Pedaço de Meu Mundo

Pedaço de Meu Mundo

 
Quando sua face se refletir 
no espelho d’água
irá vê-la límpida, 
refletindo seus claros sentimentos.
Verá que a luz dos seus olhos 
roubará o brilho d’água.
Água e mulher, um único ser, 
a fonte, a nascente, a origem.
O néctar, a essência rara 
que habita a lembrança.
Sua presença será leve,
como se seu corpo não tivesse peso.
Caminhará suave como o veleiro
a deslizar em mar calmo.
Será as flores da primavera, 
as brisas do outono.
O sol do verão. O silêncio do inverno.
Essência da vida, 
a pulsar de seu suave coração,
que em sua batida rítmica 
haverá de encantar.
Por isso haverá de gerar, 
de constituir-se em nascimento
e crescer sob o calor do seu olhar.
Energia plena que emoldura o mundo . 
Poderei observá-la em silêncio 
e lhe desejarei com pudor.
E você se encantará 
com meu olhar de menino.
E espreitará repousar 
no ninho de meu coração.
Ali, então, fará morada. 
Ali será seu abrigo seguro,
seu pedacinho do mundo 
e o seu todo.
E então se fará deusa,
mito unitário de si,
para ser adorada pela fé 
que tenho em mim.
E será minha fonte 
de água pura,
líquido a saciar 
e fertilizar o meu deserto.
E lhe mostrarei ser menino, 
mas maduro.
E então, para minha surpresa,
também lhe reconhecerei criança,
pois a mulher parece
guardar a juventude,
parece ocultar o segredo 
de amar a vida.
Tem em seu ser algo
que promete eternidade,
e nisto não me apego 
se é sonho ou ilusão,
sei que fecho os olhos, 
que guardo a sua imagem,
que me encanto 
com sua feminilidade.
E que, nesse instante,
sou plenamente feliz.

 

Compartilhar
Gilberto Brandão Marcon
26/01/2010