Site de Poesias

Menu

Beijos do sol

[Ilustração não carregada]

... MAS HÁ A POESIA,
O ENIGMA DE MIM
QUE CHEGA RASGANDO,
SUFOCADO E ARREMESSADO
PELA MINHA INTUIÇÃO.

... E TEM QUE SER ESCRITA,            
IMPÕE-ME SER NASCIDA
DAS TREVAS DA MENTE.
NADA, NADA CONSCIENTES
PULSOS DE PERCEPÇÃO.
                                                                    
SILÊNCIO EM QUE SE OUVE               
O BAFEJAR DAS LETRAS,
A POESIA SONHA...
BEIRA SER VIVIDA
INTENSA E LOUCAMENTE.
É FEITO PAIXÃO, GOTA POR GOTA.
EM LACERANTES GOTAS,
ATÉ SE EXTENUAR.

PROFANA APOTEOSE
A CONFUNDIR VETORES,
A POESIA SONHA...
LAMBE O DIA-A-DIA
COM SUAS LABAREDAS.
SÃO BEIJOS DO SOL, A GULA VORAZ
DOS CONSTELANTES ASTROS
A ME REVIGORAR.

... E TENDO A FORÇA QUE TEM,
DANDO ÀS VIGAS DA VIDA
O INDELÉVEL CARIZ,

OH, PÁTRIA UNA DOS VERSOS,
SUBMETO-ME A TI.

... MAS VINDA EM ONDAS FEBRIS,
DANDO ÀS FUGAS DA VIDA
UM SUMÁRIO PRAZER,

OH, FONTE ETÉREA DO AMOR,
ALIMENTO-ME DE TI.


Elisa Maria Gasparini Torres
&
Abel Puro
, 2009

Compartilhar

Cantou pra mim...

"Sou louco, poeta maldito, moleque vadio, moleque de pedra, de jogo de bola, de bola de meia, de sol, goiabeira, de pó de quintal. E enfim sou a mesma palavra num outro sentido, mero menestrel das angústias urbanas, o louco Quixote da grande cidade, da realidade, moinho a vencer."(Oswaldo Montenegro) Na foto, Marina, Confucio, Lea, camila, Abel e Marcela.

Francisco Abel Mendes d`Almeida
25/08/2009