Site de Poesias


Quando Cid veio ao Rio

Quando Cid veio ao Rio

EU VENHO DO CAMINZINHO
NO PÉ DA SERRA                   
DOS CAFUNDÓS
E TRAGO UM BAITA SONHO
DE VER A VIDA
SORRIR PRA MIM.
 
EU TENHO UM BRAÇO
DE DOBRAR PEÃO
E UMA CORAGEM
DE EMOCIONAR.
EU SOU AQUILO TUDO
QUE MEU DEUS GOSTA DE VER.
 
EU NUNCA PARO
PRA ME LAMENTAR
E NEM BOCEJO
SE NÃO MERECER.
EU ME REVIRO TODO
PRA VENCER NA CAPITAL.
 
EU VENHO COM MAIS MARIA,
QUE DEIXOU TUDO
PRA ME SEGUIR,
E CUMPRO MINHA PROMESSA
DE TER FILHINHOS
EM PROFUSÃO.
 
EU TENHO QUEDA
PELO SEU FEIJÃO
E SEMPRE A BEIJO
ANTES DE DORMIR.
EU ME ORGULHO MUITO
DO SEU GOSTO PELA PAZ.
 
EU OUÇO TUDO
QUE ELA ME PROPÕE
E QUASE SEMPRE
SEI QUE TEM RAZÃO.
EU CHORO FEITO BOBO
QUANDO DIZ QUE SOU FELIZ.
 
 
Francisco Abel Mendes d'Almeida, 2009.

 

Compartilhar

Cantou pra mim...

"Eu venho desde menino, desde muito pequenino, cumprindo o belo destino que me deu Nosso Senhor. Não nasci pra ser guerreiro, nem infeliz estrangeiro. Eu num me entrego ao dinheiro, só ao olhar do meu amor."(Patativa do Assaré) Na foto, Sidney(Meu Pai) e Abel.

Francisco Abel Mendes d`Almeida
09/08/2009