Site de Poesias


BANDOLIM do ESFOMEADO

 


 

Cuidado, meu amor, o perigo ronda

os caminhos, as passagens secretas

em breve infestadas de espias,

saiamos pelos jardins, nus somos invisíveis, ora!

É estranho este tempo - falsos bruxos

comandam sacrifícios, se os céus calaram

o melhor é buscar abrigo pois a chuva

é inclemente quando incauto o mendigo.

Longe a estrada apresenta além do medo,

presságios, o cavalo reina aonde a mulher fértil

era solitária, agora entendo o bandolim do esfomeado

saiamos pelos jardins, nus somos invisíveis, ora!

tua rosa encharcada é a coroa de uma libélula que estende

as asas de anjo sussurrando nos átomos inchassos de chamas

saiamos pelos jardins, nus somos invisíveis, ora!

Compartilhar
ERICO ALVIM
04/03/2009