Site de Poesias


A ESPERANÇA DE UM NAUFRAGO

Se tu me deres o que te peço,
Tenhas a certeza que não irás arrepender-te,
Se tu achares que de fato eu mereço,
Levarei toda a minha vida a agradecer-te.
 
Para mim não calculas o valor que terá,
Será uma dádiva digna de príncipes,
Conto os minutos esperando a hora que acontecerá,
Com a esperança do naufrago agarrado aos arrecifes.
 
Quanto a ti, não sei de tuas intenções
Já que vives fechada dentro de ti mesma,
Não deixas que se perceba teus sonhos e tuas emoções,
Pois tudo que fazes criatura, é de sofisma.
 
Tens em tuas mãos os meus sonhos,
Basta um gesto e terei alcançado a meta.
Para fazer-te sorrir e não ver-te tristonho,
Far-me-ei de palhaço ou perfeito pateta
 
É minha obrigação de irmão fraterno
Transmitir felicidade, alegria e paz,
E ajudar aos que estão no portal do inferno,
Ter força de vontade para voltar atras.
 
Peço-te não te afundes ainda mais
Se atenderes o meu pedido, podes estar certo,
Não te arrependerás do gesto, jamais !
Não mais serás prisioneiro. Estarás liberto ! 

Compartilhar

Ao ver uma mão estendida e se estiveres à beira do abismo, agarre-na! Tenhas certeza que será a mão do destino que te oferece uma nova oportunidade, use-a e boa sorte! Eu estava macambuzio.

ubirajara
27/01/2009