Site de Poesias


Sem se arrepender.

Sem se arrepender.

 
A branca neblina
Expõe nossos espectros.
Á amanhã se comove...E se confunde
Com a fumaça do meu hálito.
Quando amanhece,
Sou vida, sou luz...
Quero chegar, ser feliz,
Encontrar a paz...Ser dono do meu nariz.
Quero brincar, ser capaz,
De reconsiderar. Ser convincente,
Eleger consciente no ato de votar.
Morar no meu teto, enxugar meu pranto,
Uma estrela a brilhar,
Ver o mundo girar, com olhar inocente.
Quero-a nesta noite como cúmplice,
Meu corpo nu, o teu corpo explorar.
Ti amar sem temer e se eu broxar...
Não vou chorar nem me arrepender,
Tentaremos amanhã e no calor da cama
Aliviarei meu cansaço ao me deitar.
A noite morreu... O dia vai nascer...
A neblina vai se dissipar.
Quando o sol tiver nascido...
Nossos desejos já diluídos...
Ti tomarei nos braços
Para adormecer.
 

Compartilhar

Obrigado pelo carinho da visita ao sairem deixe um comentário ou uma simples critica. Para aqueles leitores que por ventura não tive o prazer de conhecer e de me comunicar quero deixar o meu fraternal abraço e desejar-lhes um feliz natal cheio de paz e muito amor.

Jose Aparecido Botacini
21/12/2008