Site de Poesias

Menu

Desabafos presos ao coração

[Ilustração não carregada]

As palavras mantidas em cárcere,

Do coração são prisioneiras.

A boca fechada e algoz,

Com a língua enlaça e pondera.

Um sorriso acompanha

A marcha fúnebre do olhar.

Tudo é frio em dia de calor.

Tudo é dor após analgésicos.

O domínio próprio algema

Um sentimento a flor da pele.

Nele, subsiste uma vontade submissa.

Se um ladrão roubar estas palavras

Dos teus olhos:

Disfarce! Isso será melhor que

Saqueá-las da tua voz.

Por vezes, melhor ainda será

O veneno que se acomoda

Nas tuas rachas e fendas.

Faça da distração o bálsamo,

Para tua ferida.

Eu o fiz. Por favor, entenda:

Achei melhor assim do que abrir

Minha boca e morrer em vida!

Compartilhar

Por vezes. as coisas ficam caladas no coração! Obrigada por me ler. Beijos. São Paulo, sp

Elisa Gasparini
19/12/2008