Site de Poesias

Menu

Chama que irei ao teu encontro

[Ilustração não carregada]

Chama que irei ao teu encontro!

Através do deserto escasso da tua amargura.

Penetrando na estrada seca do teu coração.

Imagino léguas até a fonte da tua doçura.

Que já embalou as estrelas do teu céu.

Será que lá havia uma fauna verde?

Hoje vejo erva-daninha, feridas e caroços.

Chama que irei ao teu encontro!

Levarei-te uma garrafa de champagne d'amour.

E sementes que irão germinar belas flores,

Regadas pelo meu tinteiro vermelho-paixão.

Irei marcando o caminho com pedaços de sonhos.

Chama que irei ao teu encontro!

Irei a nado pelo mar morto nas tuas veias.

Resvalando-me incisiva no fundo do teu poço.

Imagino que lá, encontrarei uma alva luz.

Que bem conectada, de forma carinhosa.

Deverá sair exógena quando abrires teus olhos,

Pelos quais lerás uns versos orgásticos que fiz,

Por onde quero extrair do teu âmago simplesmente:

O gozo da paixão e do viver.

Compartilhar

Não há tristeza que perdure uma vida inteira. Não pode haver decepção que enterre a felicidade pra sempre! Obrigada pela sua visita e mil beijos. São Paulo, capital

Elisa Gasparini
11/11/2008