Site de Poesias


"Palavras"

"Palavras"


"Palavras"


Perco-me quando escrevo...
Me perderia de qualquer forma.
Afinal, tudo é perda...
E calar é muito mais...
Escrevo porque preciso.
Escrever é como droga.
Vício do qual não me abstenho,
e no qual vivo.
É como veneno necessário.
Se compõe de fragmentos do sentimento.
Nos recantos dos sonhos é colhido.
Das margens bucólicas dos rios da alma.
Essas águas deixo escorrer por meus dedos.
Não quero o silêncio...
Por isso...

Que meu coração jamais se cale.
E o que eu não ouso dizer...

Isso ele fale.
E que o faça claramente.
Nunca com ambigüidade...
E sejam suas palavras, como rio
Que incógnito nasceu,
Cuja maré alta transforma em foz.

 Glória Salles

Mantenha a autoria do poema.


 


 

 

 

 

 


 


 

Compartilhar

Grata pelo seu carinho em me visitar.
E pela gentileza de seu comentario.
É sempre benvindo.

Bjo,bjo.

Gloria Salles
10/10/2008