Site de Poesias


Bodas de ouro (Á melhor idade)

Bodas de ouro (Á melhor idade)

 
 
Somos dois de mãos dadas
Cabelos a grisalhar, prateando.
Passos lentos, nas caminhadas
Muito felizes e ainda passeando.
 
Cuidado minha doce
amada
.
Algozes são as pedras nos caminhos,
Vejo uma flor rosa e perfumada,
Mesmo linda, contém espinhos.
 
Nesta
noite
morna e enluarada
Relembro o passado tão distante.
Você declarou-se apaixonada,
Emudecido, fiquei por um instante.
 
Um beijo muito respeitoso
Aos seus lábios fui oferecendo
Um abraço gentil e carinhoso,
Deixou seu corpo todo tremendo.
 
Você foi o esteio que me sustinha
E uma vida doce e feliz me concedeu
Em meus verões foste minha andorinha.
E nos invernos sempre me aqueceu.
 
Hoje, os anos estão mais pesados...
Porém, em nossa vida nada mudou...
Fizemos cinqüenta anos de casados
E mais cinco que a gente namorou.
 
Sinto um leve frio me amolando
Quero teu corpo como abrigo,
Em teus braços vou me aquecendo
Dormir sozinho, já não consigo.
 
O nosso coração esta fortificado
O nosso amor não tem fronteira,
Como um cerne, esta edificando,
Sendo o esteio da nossa vida inteira.
 
Ainda somos dois de mãos dadas
Galgando os degraus de nossas
vidas
,
Passo a passo em nossas caminhadas,
Agradecemos todas as glórias já vividas.


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Compartilhar

Construí este poema em homenagem para minha mãe e o meu pai. Minha mãe ainda é viva, mas meu pai já é falecido. Os dois viveram juntos durante 56 anos. Agradeço a todos pela leitura dos meus textos e se possível deixem um comentário ou uma simples critica.

Jose Aparecido Botacini
24/04/2008