Site de Poesias


Comentários da Poesia "Tudo passa ...", de Mena Moreira

ATENÇÃO: Os comentários aqui registrados não representam a opinião da equipe do Site de Poesias, nem mesmo recebem o seu aval. A responsabilidade pelo conteúdo dos comentários é inteiramente do autor dos mesmos. Ao poeta é reservado o direito de remover os comentários de seus poemas, quando achar por bem fazê-lo.


bom seria se todas as pessoas soubessem que tudo passa...
porém outras axam que por passar deve-se aproveitar o maximo..
nem sempre eh assim...
as vezes nos maxucamos por querer fazer tudo de vez...



valew...
dany

19/09/2007

ADOREI!!!!!!
Seus poemas são maravilhosos.
Parabéns!
Bjo
Júlia

17/09/2007

Hoje na madrugada deseperada tive o presente de conhecer as suas poesias e me confortar sabendo que tudo passa... Obrigada!!!
Germana

20/07/2007

Hummmmmmm e eu até já tinha lido essa sua, isso é uma realidade indubitável!!!!
Então já que fomos agraciadas em ter essa consciência vamos aproveitar esse tempo em que estamos passando, para abraçar nossos queridos, sentir o cheiro de terra na hora que a chuva chega, sentir os beijo de um filho ou beija-lo a contento, dizer Eu Te Amo a quem realmente amamos, assim seremos felizes, passaremos mas junto conosco teremos a companhia da felicidade que está nesses pequenos detalhes...
beijos minha querida e obrigada!!!!!
***Claudia Liz***

29/04/2007

oiii..
eu amei a poesia...
vc tem um grande talento...
mariana

Tudo passa. Devagar ou depressa, mas nada interessa se aconteceu o amor...
Uma poesia reflexiva e em toda ela a certeza da vida.
Parabéns pelo seu talento e visão!
Carol

Simplesmente perfeita.

O título me chamou muito a atenção pq tenho uma música com esse mesmo tema... lindas e verdadeiras tudas palavras
mil bjs
Nivaldo da Silva Santos

26/12/2006

Que belo poema, prezada Mena. É a vida que passa em cada passo.
Beijos.
Agamenon Almeida

22/12/2006

TUDO PASSA MAS NEM MESMO A DISTÂNCIA APAGA O CARINHO QUE TENHO POR VOCÊ! PARABÉNS MENA E OBRIGADA SEMPRE POR TUDO! ESTOU COM SAUDADE!
RITA REIKKE

21/12/2006

Voltar à poesia