Site de Poesias


Perdoa-me!

Perdoa-me!

Perdoa-me todo mal que lhe causei
perdoa-me se lhe fiz chorar...
Perdoa-me ter amado
subitamente, intensamente,
sem medir, e sem pensar...
Mas foi amor, eu não posso explicar.

Perdoa-me se me escondia,
quando você vinha me procurar
Perdoa-me ter me calado,
displicentemente, cruelmente,
por saber o que iria escutar,
Não foi por mal, poderia me perdoar?

Perdoa-me se em seus últimos dias
fui a culpada por você agonizar
perdoa-me ter ignorado
propositadamente, vergonhosamente
todo mal que eu pudesse lhe causar,
Mesmo assim amei, ninguém pode me condenar.

Compartilhar
Cláudia Maia
26/07/2006