Site de Poesias

Menu

Saindo dos trilhos

[Ilustração não carregada]

Sou humana, sou fulana, sou senhora,
com direito a deslizes e imperfeições.
Meu relógio só enfeita, não tem hora,
vivo o hoje, cada dia, o agora.
O amanhã é imprevisão
e o tempo não se demora.
Você que reclama,
me enxerga e não me vê,
não sabe que tem ainda
muito a me conhecer...
Jogue-se, sem medo, ao prazer,
faça o melhor acontecer.
Se fez errado, vai se benzer…
A prece perdoa o pecado,
mas do tempo perdido
vai se arrepender.

Errei por incontáveis vezes,
consciente, sem pedir perdão,
e com muita valentia
usei o coração
enquanto a razão dava vazão
ao julgamento da sociedade
coberta de precariedade,
ao corretamente político,
enfático, enfadonho, pragmático,
avaliando a inconsequência
de um desequilíbrio fugaz,
do brilho intenso dos olhos,
encontro de mim com a paz,
feliz ao me descarrilar dos trilhos,
ver o mundo passar sem olhar para trás
e viver intensamente 
uma vez mais.

Errei…mas acertei
e errarei ainda mais.

Carmen Lúcia

Compartilhar
Carmen Lúcia
26/06/2018