Site de Poesias

Menu

OUTRORA

 
 
Quanto mais chorava, mais eu sorria...
Descia o dia tímido rumo à noite agitada
E eu, criança, pululava a correr na calçada
À espera do ocaso para dissipar as fantasias!
 
Quando surgia a Lua, já cintilavam as estrelas
E o deserto chegou quente, em total alvoroço
Trazendo à meninada tristeza a contragosto,
Pois era a hora do banho e de outras retretas.
 
A cama era o destino final daquele lindo dia...
Um novo alvorecer se renovava e eu consumia
A imagem de como seria a mais nova alvorada!
 
Todavia um céu cinzento anunciava tempestade...
Aí, então, chorava que chorava... Era calamidade
Do Sol que se escondia... O dia era madrugada!
 
 

 
DE  Ivan de Oliveira Melo

Compartilhar
Ivan de Oliveira Melo
31/05/2018

  • 0 comentários
  • 14 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados