Site de Poesias

Menu

(In)lucidez

[Ilustração não carregada]

Prefiro o desequilíbrio lúcido
a revirar sentimentos calados
fazendo barulho pra manter-me viva,
a seguir outro compasso
na contradança da vida
que contraria e impede a valsa.

Prefiro perder-me de vista
e reencontrar-me nova
onde se entremeia a pista
que a todo instante se renova
no “salve-se quem puder”
e salvarem-se todos,
entre mortos e feridos.

Prefiro atalhos cerzidos,
remendados um a um,
à reconstrução de caminhos
que não levam a caminho algum.

Entrego-me ao inesperado,
ao sonho inusitado,
às contradições do dia,
à luz de cada manhã,
à espera compulsória, ilusória,
alienada ao mistério não revelado
da incerteza do amanhã.

Prefiro-me a mim,
como sou, assim,
(in)lucidez que vibra
a cada lampejo do sol,
co’as  miudezas da rua,
co’as voltas do girassol,
com a nova fase da lua.


Carmen Lúcia

Compartilhar
Carmen Lúcia
04/05/2018