Site de Poesias

Menu

À DERIVA...


À DERIVA...

Vento norte que enfurna a embarcação


Sem destino e sem qualquer confiança


Espera acuado o fim da suja corrupção


A distorção que destrói toda esperança

Vento sul que estremece sólida firmeza


Depois da tempestade, espera calmaria


Tristeza do povo que conserva a torpeza


Que sobra em alegria e falta em ousadia

Vento oeste que encobre bela paisagem


Do futuro promissor que nunca acontece


Exige do homem a sua estóica coragem


Que revolta a alma daquele que conhece

Vento leste que anuncia o renascimento


O sol e a iluminação intensa que ofusca


Trás conhecimento e afasta o sofrimento


Que sustenta sem medo a eterna busca

Marco Antônio Abreu Florentino

Expressando uma nação e um povo que, no momento, se encontra à deriva, sem norte, sem destino e sem sentido.

https://youtu.be/mP-ZAgsMAkE


Compartilhar
Marco Antônio Abreu Florentino
15/04/2018

  • 0 comentários
  • 19 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados