Site de Poesias

Menu

FULGURANTES

 
 
Março ensolarado, mormaço... flores brancas
Atapetam meus jardins de outono... olfato!
Perambulo sob as rédeas dos pés, os tamancos
Que pisoteiam o solo alagadiço de fosfato!
 
Crisântemos vermelhos... é o sangue da cascata
Poluída nesses campos onde já não há ternura...
E a vida se enternece dentre o massapê  que é lama
Pelas várzeas movediças dessa natureza impura!
 
Através da janela do silêncio sinto do arrebol, a luz...
Um homeopático entusiasmo do meu corpo se fia
E meus olhos coloridos de solidão dormem o cansaço
Para saudar da comoção réstias fúnebres de nostalgia!
 
E me saúda uma morte cerzida pela exaustão da vida
Que me intima a descrever lampejos da sutil despedida!
 
 
DE  Ivan de Oliveira Melo

 
  

Compartilhar
Ivan de Oliveira Melo
27/03/2018

  • 0 comentários
  • 35 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados