Site de Poesias

Menu

Como se pode viver?

não entendo esse tal de amor 

em sofrer e viver

virei doutor.

 

apego me facilmente 

sou frágil

sou gente

frágilzada

traço minha própria estrada

comprida

miinha sinistra entrada na vida

 

deixei de amar as pessoas

pensei que elas fossem boas

acredite

que digas,

são minhas amigas

 

hoje aqui deitado

do meu lado

meu poema calado 

quem diria

fala mais que uma sinfonia

 

fala de água fresca 

luz do dia 

noite fria 

calma camaria 

 

vejo tudo diferente

o zap 

o face,

vejo gente

 

o mundo se integrou a mil

mundo mudo Brasil

 

é como se eu tivesse 

num palco do universo

onde todo, integrados

em um so verso

comentários curtidas e recados

fotos .

fatos 

rabiscados ....

sentimentos alados ...

 

vidas expostas 

integradas,

numa canção 

num fato,

ocasião, 

 

asfalto

pé no chão

atentado 

violência 

paz

oração

 

campanha contra fome 

briga por religião 

governo,

sistema nação,

 

o tudo 

o nada 

a procura de solução

há enfim quem diz ,

procura se ser feliz.

 

no canto do mundo

em cima,

em baixo

a felicidade que eu acho

em qualquer lugar 

o que  basta,

é saber amar

 

o amor 

ao que se faz 

ao próximo 

a paz 

ao irmão 

ao semelhante 

e seguimos adiante 

avante.....

avante ..

peregrino andante.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhar
JÂNIO MOREIRA
07/12/2017