Site de Poesias

Menu

Ardendo de desejo

[Ilustração não carregada]

Despida assim,

Deitada como Deusa

Que repousa a sua beleza

Em lençóis de seda Indiana

Seu corpo acaricia o meu desejo

Como o vento acariciando pluma,

Como gostas de orvalho

Tocando pétalas

Anjo que me tenta,

Estou ardendo de vontade de você,

Os meus olhos lambem

Sua seiva doce,

Vinho tinto que escorre pelas pernas

Pintando suavemente  a minha língua

Com o vermelho da paixão

Seus mamilos aquecem

As minhas mãos

E viram sorvetes.

Nesse minuto que antecede a entrega

Você movimenta lentamente as suas pernas

Como um botão de rosa se abrindo

Contemplo maravilhada seu corpo lindo

Nessa bandeja em forma de cama

Se exibe sem piedade,

Daquele jeito que atiça,

Sussura com preguiça

Loucuras no meu ouvido

O céu nunca esteve tão bonito

Quanto agora minha lua

O nosso prazer flutua

Sem mapa de navegação

Descubro o ponto

Que lhe desorienta

Meus lábios deslizam na sua virilha

Avanço,

Vou além

Entre febre e palpitação

Protagonizamos a nossa história

Nesse cinema que imita a vida,

Nessa viagem erotizada,

Nesse pecado que é a nossa salvação.

 

 

                                                                   Tatiane Correia Silva.

Compartilhar
Tatiane Correia Silva - Compositora/Poeta (SALVADOR-BA)
21/09/2017

  • 0 comentários
  • 36 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados