Site de Poesias

Menu

VERSOS DESCONEXOS


VERSOS DESCONEXOS

A lua monkberry surgiu na frente do meu nariz


Redonda como uma espada, cadê o patinete?


O inimigo evoluiu mas continua como aprendiz


Ela grita quando está cansada e não se repete

Banana não tem semente, mastigo sopa e purê


Barulho despertou ratos na frente do meu piano


Tudo é coerente e aparente, assim ninguém crê


O vento trouxe boatos onde o real parece insano

Fábrica de ketchup emite som terrível de tomate


Fiquei com nó no estômago ao ouvir esse refrão


Então não tirei backup e fui lutar o bom combate


Ir ao âmago da questão para a devida adaptação

Tive uma horrível visão: jovens fugindo num barril


Estavam vestidos de pijama indo para Budapeste


Não contive a emoção de ver o mundo tão infantil


Mandei carta e fonograma direto para o nordeste

Marco Antônio Abreu Florentino


(Colaboração de Fco. Brilhante: Lá vem a lua saindo, redonda como uma espada, banana não tem semente, cadè meu patinete?)

Poema inspirado na canção ¨Monkberry Moon Delight¨ de Paul e Linda McCartney, sucesso no início da década de setenta e que teve grande repercussão entre os fãs e a mídia devido possuir versos sem aparente sentido, o que levou a diversas interpretações. Assim também penso a vida e o sentido do ser. Para alguns é muito claro, principalmente para os que creem em Deus e são verdadeiramente religiosos. Para outros, já não é tão compreensível, obrigando-os a profundas reflexões sobre o ser e a existência.


Assim como no poema que pode não ter sentido ao ser lido em sua totalidade e sim verso a verso, havendo ainda variadas interpretações de acordo com o leitor, o sentido do ser requer abstração que vá de encontro ao seu desvelamento. Por isso a analítica existencial e da linguagem, juntamente com a hemenêutica, são tão fascinantes.


Existem ainda aqueles que nascem, crescem e morrem sem se preocupar com tais questionamentos e deixam a vida lhes levar... talvez sejam mais felizes.


No meu entendimento o sentido do ser tem relação com a temporalidade e o seu momento, portanto não pressupõe o tempo de forma linear e cronológica (passado, presente, futuro, horas, dias, séculos...) e sim o tempo momento.


Enfim, resta tentar compreender a finalidade última de todas as coisas existentes e do universo... esta tenho consciência de que vou partir desta para o nada sem encontrar resposta.

https://youtu.be/IrthE_waCV8
(Monkberry Moon Delight - Paul e Linda McCartney)

 

Compartilhar
Marco Antônio Abreu Florentino
13/08/2017