Site de Poesias

Menu

ISTO A MÍDIA NÃO MOSTRA (1) EPISÓDIO

[Ilustração não carregada]

era eu que ia me casar com o príncipe William ,mas a megera da sua vó Isabel II não deixou argumentando que eu não tinha mas idade para me tornar duquesa e seria um grande insulto ao povo do reino unido e que todo povo de londres deixaria de pagar seus impostos sem medir as palavras a jararaca de duas cabeças ainda disse: que eu tinha mas cara de governanta do que de uma princesa tudo isso ocorreu no jantar na noite que William iria oficializar o nosso noivado e pedir minha mão para Mainha perante todos sentados na mesa eu me irritei e arranquei a coroa da cabeça da veia e joguei dentro do molho de rosé das panquecas que Mainha havia trazido para cerimônia a cobra mudou de cor ficou toda vermelha e imediatamente se levantou da mesa convocou uma reunião de emergência com todos os membros da família real em seu gabinete eu corri atrás da porta para escuta a veia gritava William meu neto voce é um príncipe onde já se viu querer casa-se com essa nordestina impostora que só sabe dançar forró, escrever poesias piadas, a Kate é uma moça de família boa formada aeromoça eu não darei minha benção e gritou charles meu filho faça alguma coisa charles imediatamente gritou William eu exijo imediatamente a deportação desta mulher para o brasil com um carimbo oficial de todo povo de Londres a veia disse: o papa como legislador, doutor e mestre supremo de toda a Igreja, tem autoridade sobre esse caso assine já William, William gritou eu jamais assinarei a esse ofício vovó e disse: eu a amo pai é com essa nordestina que eu quero me casar ela é a mulher da minha vida a veia começou a passar mal a pressão a subiu 14 por 9 e eu atrás da porta não contive o controle bati na porta e já fui entrando Mainha atrás de mim jogou sal em cima da veia e eu gritei mainhaaaa é minha sogra não é um sapo Mainha desesperada não ouvia e tome sal a veia toda salgada começou a chorar e gritar e disse: soldados pegue as duas e coloque no calabouço o calabouço é um lugar mais profundo de um castelo Mainha esperneando gritava veia maldita aqui é um palácio não um castelo e fomos empurrada la pra o fundo do palácio não sei exatamente por quanto tempo ficamos ali era tudo escuro e frio eu me agarrava em Mainha ,Mainha em mim era empestado de ratos britânicos fedia muito a urina e cocô la de fora escutávamos todos os dias os barulhos das espadas e o povo gritando com muita força executá-las 😢😥😥

continuação do (2) episodio breve
Autora
Poetisa Desconhecida
escrever é um humor e o humor precisa esta dentro da alma do escritor

Compartilhar

obrigado pelo carinho da visita
o sair deixe suas criticas ou comentários

Poetisa Desconhecida
03/08/2017

  • 1 comentário
  • 16 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados