Site de Poesias


Os dias vão correndo lentamente...

Lembro ou talvez não…outras tardes

Passadas no tumulto, na agitação

O tempo esse não pára e eu…vivo

Não de recordações boas ou más

Mas de uma época que não mais voltará.

Sou rouxinol que canta p’ra não chorar

Ave que não migra

Sou vento

Sou água

Horizonte

Amante sem amar

Sou folha caída

Amendoeira sem flor

Alguém que foge do tédio

Mas que adoece sem remédio

Sou eu no meio na multidão…

Compartilhar

Lisboa

Estela Belém
11/04/2006