Site de Poesias

Menu

Bolhas de sabão

Com os olhos ávidos
de meu alado coração,
eu já antevejo a emoção 
desse reencontro apaixonado.

Feito mariposas libertas
pelas chuvas de verão,
nossas mãos entreabertas
e presa, a nossa respiração.

Que nem as borboletas nos jardins,
os nossos beijos ardentes;
ao som de vozes de querubins,
juras de se amar eternamente.

E nossas almas em regozijo
se reverberarão no horizonte;
sob a paz de tua serena fronte,
tudo há de que mais preciso.

Feito bolhas de sabão a espocar
diante dos olhos de criança;
o nosso amor a germinar,
dentro de nós, a esperança.

E esta jovem verde e infinita
será de nosso caminho, a claridade;
o lume incandescente de nossa vida.
E o amor, o fio condutor da felicidade.

Compartilhar
Cid Rodrigues Rubelita
18/06/2016