Site de Poesias

Menu

Saúde humana

Todos se compadecem
Dos estranhos que perambulam,
Mas poucos percebem a fome
Nos olhos dos que os circundam,
Que ainda sofrem o julgo
Daqueles que, por dinheiro, "ajudam" ,
Entregando seus gregos presentes
Às responsabilidades de terceiros,
Pobres e indefesos,
Enquanto os nobres cavaleiros
Cantam, dançam e saúdam.

 

Que venha o tempo da Justiça!
É isso que anseio,
Estou pronto, e aqui já não há mais,
E também já não tenho mais medo;
Tudo aqui muda o tempo todo,
Veloz, fútil, pó ...
Em tempos,
Eu prefiro a lentidão da terra
Que alimenta a semente,
Que aos poucos prolifera,
Do que a rápida paixão
Vazia, Inútil e só ...

 

Quase sem nome e rosto,
Sem cheiro ou afeto,
Frio e sem gosto,
Sem laços ou nó ...

 

A Terra tornou-se fria,
A vaidade asfixia,
A soberba fantasia,
A bondade é fingida,
E a maldade aplaudida.

 

Se eu fosse um navegante
Solitário no oceano,
Vagaria cantando,
Por humanos ansiando,
Porém, nessa Terra
Conheci muitos lugares
E isso foi o que encontrei:
- Não há um justo sequer!
Essa é uma Verdade,
Da qual já duvidei ...

 

Compartilhar
Ricardo Lemos
14/12/2015

  • 1 comentário
  • 58 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados