Site de Poesias


Sempre quis voar...

Sensação de liberdade
Horizonte sem infinidade
Devorando saberes e sabores
Kodacrome de muitas cores…

Que ave gostaria de ter sido?
Talvez águia, talvez milhafre
Voos elevados ou rasteiros
Mas nunca, nunca, rotineiros…

Voaria com uma certa intenção:
Alcançar o sonho e a inspiração
Numa estabelecida direcção…

Onde encontraria o meu lar,
Feito de pérolas, reflexo de mar!

Compartilhar

Lisboa

Estela Belém
07/04/2006