Site de Poesias

Menu

Anjo Negro

 Uma diva celeste, de curvas sinuosas
Que ainda me lembro bem, em seus modos que articula
Sua imagem sutil e de maneira espirituosa
Linda imagem que não se encabula
Mas aos seu devaneios voluptuosas
Seus encantos ansiosas
E de maneira conceituosa
 
Anjo Negro se intitula


Guerreira por natureza, com adagas e escuderias
Visita as Orbes inferiores, em busca de inquietação
Mas apenas permanece nas periferias
Pois sabes que não é sua feição
E de tudo aquilo que proferias
Do que sente em noites de solidão
Nem tudo é o que parece ser (minha adorada), ou deverias
Mas é que neste plano, orbe ou dimensão
És um ser divina de luz, que me traz inspiração.


Anjo negro que nas trevas visita em noites tenebrosas
Lutando contra a vontade de laços que lhe permeiam
Ainda que provém de uma beleza esplendorosa
Alma cansada de eventos que lhe anseiam
Busca de toda força suas conquistas vitoriosas
Dentre elas a mais anciosas
 
Sua liberdade de laços que lhe prenderam.


És na noite que se liberta, onde solta seus encantos
Noturna plagas, ermos distantes em que sossegas
É neste obscuro sentimento que vejo seus prantos
Renegando suas origens, sua coragem que não se entrega
Saio em seus rastros, em busca de todos os cantos
Salvar minha eterna anja, que ela mesmo sonega


Não canso em procurar este ser adorável
Percorreria qualquer distrito ou circulo infernal
Toda vez que acho que lhe conheço de uma forma memorável
Vejo que és ainda mais profunda, de um tom fenomenal
De tantos caminhos percorridos de um jeito imensurável
E quando nas noturnas vezes que deixas um sinal
Sinto que estou no caminho certo a modo inexorável
E conseguiria lhe explicar de uma forma inenarrável
 
Que és meu anjo de luz, não um anjo do mal.


Em outroras eras que vivíamos felizes
Quando resolveu partires epara outros cantos do Universo
Obteu-se incríveis experiências com suas audácias chamarizes
Aprendeu muitos caminhos, com amores diversos
Mas de certa forma ainda a encontrarei com minhas forças motrizes
Do lugar que parti de um jeito egresso
Minhas conviccçoes e de tudo aquilo que me nutrizes
E seguindo meus caminhos e diretrizes


Apenas posso lhe ter nestes versos.

Compartilhar
Augusto Grovermann
28/06/2015