Site de Poesias

Menu

ADIOS EL CHAVO

  
Não gostava do chaves no início e às vezes proibia as crianças de assistí-lo.
Depois de aposentado passei a ver alguns epsódios e fui simpatizando com o seriado. Via a maneira como aqueles personagens viviam e as trapalhadas deles:
Seu Madruga: um viúvo que criava a chiquinha sozinho, uma profissão simples, ganhava pouco e sempre devendo o aluguel. Apanhava sempre de todos e de vez em sempre aplicava um beliscão no braço do Quico e um "coque" na testa do chaves e de qualquer outro que lhes afrontavava e depois descontava a sua raiva pisando e pulando em cima de seu chapéu de pano surrado.
Dona Florinda: Viúva de um marinheiro, criava sozinha o filho Quico, vestindo-o sempre com um uniforme igual ao do pai falecido em um acidente no mar. Filho único, mimado, almofadinha, chorão, que se achava sempre correto em tudo, filho que ela sempre o defendia sem saber as primeiras razões das desavenças entre adultos e crianças, era bruta, violenta, autoritária e diferente, mas na hora que o Professor Girafales chegava ela se desmanchava de amores por ele, largava todas as confusões no pátio, inclusive o seu filho mimado e convidava o professor para tomar "uma xícara de café" a sós, fechava a porta e as crianças ficavam por ali curiosas para saber o que os dois estavam conversando ou fazendo lá dentro da casa.
Professor Girafales: Um professor elegante,que se envolvia na vida dos alunos, nas trapalhadas, às vezes era conivente com o Bullyng na sala de aula, fumava dentro da sala, porém tolerante com todos os alunos. Um verdadeiro " Dom Juan".
Seu Barriga: Um proprietário de vários imóveis, bem sucedido, devia gostar muito de comida, visto pelo seu físico, o contrário do Chaves, que não tinha nenhum imóvel e comida. Aquele proprietário tolerante que ficava sem receber vários meses de aluguéis e não cobrava seus inquilinos na justiça. Sempre amigo de todos, não agredia as crianças e sempre levava prejuízo financeiro ou moral para sua casa, até hoje não sei como Seu Barriga ficou rico ao ponto de ter vários imóveis.
A Bruxa do 71: Uma idosa, bem discreta, que morava sozinha, ranzinza, apaixonada pelo seu madruga, uma paixão não correspondida, sempre levava bolos para ele comer em casa, talvez queria pegar ele pela barriga vazia, sempre opinava e entrava nas discussões do pátio, as crianças a detestava mais pela intolerância, porte físico e idade, o que hoje seria uma afronta ao Estatuto do Idoso no Brasil.
Chiquinha: Uma filha única, morava com o pai viúvo, um bom pai, pois ela estava sempre limpinha, maria chiquinha no cabelo todo dia, única menina ali da redondeza, se achava quando estava perto dos meninos, entrava nas encrencas e brincadeiras do pátio. Gostava de se exibir, mesmo com um dentão cariado, talvez por medo de dentista ou falta de dinheiro do seu pai "Seu Madruga".
Chaves: Um bom menino, sempre faminto, simples, que morava na rua. Tinha amizade com todos, sempre com boa vontade para servir o próximo, às vezes por interesse próprio e às vezes por ser de boa índole mesmo.
Sempre metido em trapalhadas com os amigos,mesmo sem querer ou mesmo querendo, como ele sempre explicava com sua sinceridade, na verdade ele gostava mesmo era da farra no pátio e estar sempre interagindo com todos.
Brigavam, brigavam, mas no fundo todos tinham um coração bondoso.
As lições deixadas pelo seriado são infinitas.
Vá com "DIOS EL CHAVO".
Oscar Barros

 

Compartilhar
OSCAR BARROS
30/11/2014